26 de outubro de 2009

Então, vamos contextualizar?

Chegou o dia de explicarmos melhor o motivo gerador do nosso blog. A nossa proposta é a partir de uma história fictícia, apresentar o tema de investigação de paternidade.
Para compreendermos melhor os documentos que serão analisados, não podemos abrir mão de entender os motivos de sua criação. Em outras palavras: entender o contexto de criação.
Segundo Janice Gonçalves, o contexto que vai determinar a circunstâncias para a existência dos documentos.
O contexto para a análise dos nossos documentos é investigação em torno da paternidade das Meninas Super Poderosas. O nosso propósito e mostrar que elas não foram criadas a partir de misturas químicas.

Vamos a História?
A história conta que elas foram criadas, pelo professor Utônio, em um laboratório em Towsville.
Um belo dia, Florzinha, que tinha uma veia arquivística latente, resolveu organizar o laboratório do professor. Foi quando, por um acaso do destino, ela se deparou com um bolo de cartas, fotos do professor Utônio com uma mulher muito familiar, e alguns outros objetos que nada tinham de científicos. Isso a deixou intrigada, mas mesmo assim ela resolveu não invadir a privacidade dele.

No dia seguinte, em mais uma luta para proteger Towsville, as meninas depararam-se com o Macaco Louco, ele, muito vingativo, vendo que mais uma vez tinha sido derrotado por elas, Falou: - Vocês não foram fruto de uma simples experiência química, vocês tem mãe e pai. Pergunte para o professor Utônio – O vilão deu uma risada macabra e saiu. Como deu para perceber, ele plantou a semente da desconfiança em seus corações.

Florzinha que havia ficado intrigada, contou para as irmãs o que havia acontecido no laboratório. Elas associaram o que o Macaco falou, aos objetos suspeitos encontrados no laboratório do professor. Certamente ele escondia algo. As três irmãs de Towsville começaram a investigar a história. Foram ao laboratório e encontraram as fotos, o bolo de cartas e os demais objetos.

Eis que de repente,adentra ao laboratório o professor.Ao vê-las, sentiu que elas já sabiam de tudo.Não tinha mais nada a esconder. Ele confessou o seu passado. Confirmou seu envolvimento com uma mulher que o havia abandonado. E, que, eles haviam tido, coincidentemente, três bebês, que na verdade eram elas.

Ele com medo, por ser de uma família muito conservadora ( ele era a mulher da relação), resolveu cuidar das meninas, mas sem assumi-las de papel passado. Daí veio toda aquela história de criação em laboratório, vê se pode?

Sabe qual o motivo da mulher ter os abandonado?Ela era muito jovem e tinha muito sonhos que ao ser mãe não poderiam ser realizados, como por exemplo, ir para Hollywood e ser atriz. Sabe de quem estamos falando?Da famosa: Betty Boop, isso mesmo. Ela é a mãe das Meninas Super Poderosas.

Olhem a semelhança!

Foto de Betty na infância.

Servirão como provas para comprovação do relacionamento amoroso entre a Beth e o professor, que teve como conseqüência o nascimento das meninas, os seguintes documentos:


Cartas de despedida
Alianças
Fotos
Certidão de nascimento
Laudo de Paternidade



23 de outubro de 2009

Análise dos documentos da MCE-BYTE de acordo com os Arquivistas de Madri

Bem gente, aula passada o professor pediu para nós fazermos uma análise dos documentos da MCBYTE, segundo o modelo dos arquivistas de Madri.
Pois sim, primeiro nós analisamos um documento da série, a nota fiscal de venda ao consumidor.

Nota fiscal de venda ao consumidor

Tipo documental
Denominação: Nota Fiscal de Venda ao Consumidor.
Definição: A nota fiscal é um documento fiscal e que tem por fim o registro de uma transferência de propriedade sobre um bem ou uma atividade comercial prestada por uma empresa e uma pessoa física ou outra empresa.
Conceito retirado da Fonte(s): PT.wikipedia.org/wiki/nota_fiscal.
Código: *
Caracteres Externos:
Gênero: Textual.
Suporte: Papel.
Formato: Avulso
Forma:original
Órgão Produtor: MCE-BYTE Viagens Virtuais.
Destinatário: Empresa ou pessoa física.
Legislação: Lei Federal nº 9.532/1997, artigo 61.
Trâmite: o cliente compra um bem ou uma atividade e a empresa emite a nota fiscal.
Incidências:*
Duração do trâmite: não há tempo fixo.
Documentos básicos que compõem o expediente: *
Vigência administrativa: enquanto houver valor fiscal e probatório.
Eliminação: pode ser eliminado quando cessar seu valor fiscal, administrativo e probatório.
Continuando a atividade solicitada, fizemos a análise de todos os documentos do quite MCeByte!!!
Pedido de viagem virtual
Tipo documental
Denominação: Pedido de Viagem Virtual
Definição: Documento que contém descrição do produto que será adquirido pelo cliente
Código: *
Caracteres externos:
-Classe: textual
-Suporte: papel
-Formato: avulso
-Forma: original
Produtor: MCE-BYTE viagens virtuais (departamento de contratos)
Destinatário: Cliente interessado em adquirir a viagem
Legislação: *
Trâmite: Solicitação em adquirir o produto (viagem) por parte do cliente a empresa, esta gera o pedido para que o cliente preencha com seus dados. Ordenação da série:Ordenação de acordo com o produto adquirido de forma alfabética.
Conteúdo: Dados de identificação do produto, cliente, data de compra.
Vigência administrativa: Até a prestação do serviço
Eliminação: *
Tabela de Preços de Viagens Virtuais
Tipo documental
Denominação: Tabela de Preços de Viagens Virtuais
Definição: Documento que contém descrição do valor dos produtos oferecidos pela empresa Código: *
Caracteres externos:
-Classe: textual
-Suporte: papel
-Formato: avulso
-Forma: original
Produtor: MCE-BYTE viagens virtuais (departamento financeiro).
Destinatário: Cliente interessado em adquirir a viagem ou funcionário que vai vender o produto.
Legislação: *
Trâmite: Empresa especifica o valor dos produtos e serviços a serem prestados e a sua validade.
Ordenação da série: De acordo com o produto adquirido e cronológica
Conteúdo: Nome e preço dos produtos, validade dos preços
Vigência administrativa: Até a prestação do serviço
Eliminação: *
Ficha Funcional
Tipo documental
Denominação: Ficha Funcional
Definição: Documento que contém os dados pessoais do funcionário da empresa.
Código: *
Caracteres externos:
-Classe: textual
-Suporte: papel
-Formato: avulso
-Forma: original
Produtor: MCE-BYTE viagens virtuais (departamento de RH)
Destinatário: Próprio RH
Legislação: CLT
Trâmite: Funcionário é contratado na empresa e seus dados são registrados
Ordenação da série: Alfabética
Conteúdo: Nome do servidor, número de registro funcional, cargo.
Vigência administrativa: Enquanto o servidor permanecer na empresa
Eliminação: 100 anos

Fique esperto, tá na lei!

A postagem da vez está relacionada às leis mais conhecidas que garantem aos filhos o direito de reconhecimento por seus pais. Pode parecer um absurdo para muitos, para outros é uma dura realidade!
Importante lembrar que, não temos a pretensão de analisarmos juridicamente, tal qual um advogado, queremos na realidade, mostrar de uma forma simples às leis que estão diretamente ligadas ao nosso tema: Investigação de paternidade.
Começaremos pela mais conhecida e difundida: o Estatuto da Criança e do Adolescente-ECA. Aprovado em 1990.
Segundo o Art. 27, “O reconhecimento do estado de filiação é direito personalíssimo, indisponível e imprescritível, podendo ser exercitado contra os pais ou seus herdeiros, sem qualquer restrição, observado o segredo de Justiça.”
O ECA prevê também, em seu parágrafo único que "O reconhecimento pode preceder o nascimento do filho ou suceder-lhe ao falecimento, se deixar descendentes".
A justiça entende que este é um direito público subjetivo, que pode ser exercido a qualquer tempo, pois é natural que o indivíduo que, é um ser social, queira conhecer suas origens ,seu parentes..
Outra lei que é de grande relevância é a 8.560/92, que foi alterada em julho de 2009. Tal lei regula a investigação de paternidade de filhos havidos fora do casamento. Tema polêmico.
Antigamente, a presunção da paternidade estava ligada ao matrimônio, logo, filhos que haviam sido concebidos fora das relações de casamento, eram considerados ilegítimos,e não tinham direito algum.
A lei 8.560 atribui à “presunção da paternidade ao suposto pai que se recusar a fazer o exame de DNA, a ser apreciada em conjunto com o contexto probatório”. O contexto é apresentado como prova da relação entre a mãe e o suposto pai. As provas podem ser: fotos, correspondências que comprovem o mesmo endereço, e por aí vai...Por isso muito juízo!
Quem não estiver pronto para assumir a responsabilidade de ter um filho, se previna, ou abstinência total! srsrsr

22 de outubro de 2009

Como funciona o teste de paternidade?






O teste de paternidade, também chamado de teste de DNA, permite comparar as informações genéticas do DNA do indivíduo com aquelas encontradas no DNA do suposto pai.

O DNA (ácido desoxiribo-nucleico, ADN) é uma substância que transmite as características hereditárias dos pais para os filhos. Está presente em todas as células do corpo, e assim o teste de paternidade pode ser feito com qualquer tecido que contenha DNA.

As amostras de mucosa bucal são preferíveis porque a recolha de amostras é mais fácil e também a extracção do DNA é menos trabalhosa. Mas o DNA pode ser extraído também de outros materiais biológicos, como unha, sangue, sêmen etc. O tipo de DNA e a idade das pessoas não influenciam o teste, pois o DNA de uma pessoa fica a mesmo por toda vida. Assim crianças podem ser analisadas desde o nascimento.

A recolha de amostras pode ser feito sem problemas e sem causar dores mesmo com bebês recém-nascidos. Até um teste antes do nascimento pode ser realizado,tendo em vista que a composição do DNA já é a mesma no óvulo fecundado e no adulto.

O conjunto de moléculas de DNA compõe os cromossomas, que estão localizados no núcleo das células e arranjados aos pares. Têm dois conjuntos de cromossomos, um proveniente da mãe e outro do pai. Assim para cada região da DNA analisada tem duas cópias, chamadas alelos, uma delas de origem materna, e a outra, de origem paterna.

No teste de paternidade os dois alelos de cada região são analisados para cada pessoa incluída, assim se recebe um perfil da pessoa: a chamada impressão digital genética. Depois os perfis das pessoas são comparados e um alelo de uma região da criança deve ser encontrado no perfil da mãe e o outro no perfil do pai. Se alelos de três regiões da criança não tiverem alelos correspondentes no perfil do suposto pai, este homem não pode ser o pai biológico da criança e a paternidade será excluída. Uma discordância só ainda pode ser explicado com um acontecimento que ocorre muito raramente - a mutação. A probabilidade que duas mutações ocorrem dentro das 16 regiões da análise de uma pessoa é tão pequena como a probabilidade que todas regiões menos duas concordam somente por acaso. Porém esse caso acontece muito raramente e é impossível decidir.

Na maioria desses casos um homem parente do suposto pai é identificado como pai biológico. Como os alelos ocorrem numa população com uma frequência diferente, as concordâncias de alelos também têm um peso diferente. Um alelo muito comum, encontrado tanto na criança como também no suposto pai, não significa muito e não aumenta a probabilidade de paternidade. Um alelo muito raro encontrado nos dois perfis é uma indicação boa que o homem analisado deve ser o pai biológico da criança.

No resultado será indicada a probabilidade que as concordâncias não ocorreram somente por acaso. Como a cálculo desta probabilidade depende dos alelos encontrados na análise, só podemos indicar o número mínimo das regiões que serão analisadas nos nossos testes com uma probabilidade garantida. Não podemos porém indicar quantas regiões será necessário analisar para alcançar a probabilidade garantida.

O teste é bem mais preciso e seguro, se a mãe é analisada também. Neste caso compara-se o perfil da criança com o da mãe. Resta comparar a outra metade dos alelos com o perfil do pai. Assim concordâncias por acaso ficam bem mais raras.

O teste pode ser realizado também sem a mãe, mas a probabilidade é bem menor comparado com testes que incluem a mãe. Para alcançar uma probabilidade parecida regiões adicionais podem ser analisadas. A impressão digital genética como é determinada num teste de paternidade, também serve para investigar outras relações parentescas - por exemplo, se gêmeos são dizigóticos (bivitelinos, gêmeos fraternos) ou monozigóticos (univitelinos, gêmeos idênticos) ou se alguém é o avô, o tio ou o primo de uma outra pessoa etc..

Fonte: laboratório de paternidade Delphitest.



16 de outubro de 2009

aula do dia 09/07/2009 Filme, he, he.


Olá,

Gente, na aula do dia 09 de outubro, assistimos o filme deu a louca na chapeuzinho. É um desenho animado que reescreve o conto do lobo mau só que agora ele é bonzinho. Resumindo, a animação acontece da seguinte forma:policiais do mundo animal ( um sapo, um urso, etc) investigam uma anormalidade na floresta: uma tentativa de assassinato envolvendo uma senhora (vulgarmente conhecida como vovó) , a neta, uma garota conhecida como Chapeuzinho Vermelho, um lobo aparentemente mau e um camponês com o seu machado.

As acusações são muitas: roubo de um livro de receitas, invasão de domicílio, distúrbio do silêncio na vizinhança e manuseio de um machado sem licença.

O que percebemos é que a reconstituição da história foi fundamental para se descobrir a verdade. Analisando diplomaticamente, vemos que o contexto em que os fatos foram ocorrendo foi fundamental para o desenrolar dos acontecimentos....




então tá gente...

2 de outubro de 2009

Operação Garatusa põe fim a fraudes no DETRAN/DF

Olá pessoal,

A notícia é quente!
Hoje ,dia 02/10, a Polícia Civil prendeu 22, das 25 pessoas envolvidas em esquemas fraudulentos no DETRAN/DF.Dos presos,12, eram servidores no próprio órgão(concursados, cedidos e servidores em com cargo em comissão).
A quadrilha negociava a emissão de carteiras de motoristas, retirada de pontos na carteira, renovação de habilitação.

Click na imagem para ampliar.




Imagem tirada do seguinte sitio

Loading...