28 de setembro de 2009

Craque do timão enfrenta investigação de paternidade!


Ronaldo (fenômeno) enfrenta investigação de paternidade. Como o fato tem tudo haver com o nosso tema, resolvemos acompanhar o caso. O processo de investigação de paternidade foi movido por uma jovem, que alega ter se relacionado com ele em 2004, uma única vez, e que o fruto desse relacionamento foi um Baby que hoje tem 4 aninhos! Ronaldo já tem dois herdeiros, e sua atual mulher espera o terceiro filho. Será que vem mais um por herdeiro por aí?




25 de setembro de 2009

Falsificação de assinatatura...

Bom, na quarta atividade o profº sugeriu que fosse feito um certificado.Implicitamente ele nos ensinou a falsificar documentos (rsrsr)Mas sentimos falta de uma coisa:a falsificação da assinatura.Foi pensando nisso que esse tópico foi criado. hehehe
Brincadeira gente!!! Isso é crime.
O link a baixo é um site que ensina como falsificar assinaturas, como arrombar um cofre... Coisa do mal, né?

Tarefinhas dos documentos MCByte

Bonjour!!

Mais uma sexta-feira radiante! ;)
Colocando em dia nossas atividades, estaremos postando as atividades do dia 18/09 e do dia 11/09, respectivamente.

Na aula passada, continuamos atrabalhar com os documentos da MCE-BYTE, nossa missão era criar um plano de classificação para a instituição.



Aos 20 minutos do segundo tempo (depois do intervalo), o professor nos pediu para que fosse feita a análise dos elementos internos e externo dos documentos da MCE-BYTE.
O documento escolhido foi o pedido de viagem.

Eis ai a imagem do pedido!!!



Elementos externos
Suporte: papel
Formato: avulso
Preparação para receber a mensagem: campos a serem preenchidos, tanto pela empresa quanto pelo cliente.
Linguagem: português
Signos especiais: logomarca da MCE-BYTE

Pessoas
Autor do ato: Vinícius Lima e Elizete Lima
Autor do documento: MCE-BYTE
Destinatário do ato: Vinícius Lima e Elizete Lima
Destinatário do documento: MCE-BYTE
Escritor: MCE-BYTE e Vinícius Lima e Elizete Lima

Tipo de ato
Contratual

Nome do ato
Autorização para implante de memória

Tipo de documento
Nome: contrato
Natureza: privada
Função: documento de ajuste (pactuais)
Estado: Original

Descrição diplomática
Contexto: pedido de viagem virtual, por meio de implante de memória, no dia 19/04/1997,na cidade do Rio de Janeiro, solicitado por Vinícius Lima e Elizete Lima.
Documento: pedido de viagem, original, em papel, emitido em uma via.


Atividade do dia 11/09

Foi proposto em sala, que fosse feita a identificação dos elementos principais que compõe os documentos da MCE-BYTE.

Nota fiscal
-Identificação da empresa
-Cadastro da instituição em órgão de fiscalização
-Número de identificação do documento
-Dados sobre a aquisição do produto (nome da pessoa que adquiriu o produto, endereço e data).
-Discriminação do produto (valor, quantidade).
- Identificação da gráfica que gerou o documento (endereço, cadastro em órgão de controle estadual, identificação de data e quantidade produzida)

Pedido
- Identificação da empresa
- Dados do produto a ser adquirido
- Dados do cliente (nome, endereço, cidade, telefone, CEP, RG, data de aquisição do produto e assinatura)

Ficha funcional

- Dados da instituição
-Identificação do funcionário (nome, CIC, RG, conta bancária, telefone, endereço, data de nascimento)
-Número de registro do funcionário na empresa
-Data de admissão e de rescisão
-Cargo exercido

Tabela de preços

-Identificação da instituição
-Data de validade dos preços especificados na tabela
-Especificação dos produtos (identificação do produto, custo inicial, comissão, custo total, impostos, preço final)

.

21 de setembro de 2009

Glossário

Diplomática
Disciplina que tem como objeto o estudo da estrutura formal e da autenticidade dos documentos
(Dicionário de Terminológia Arquivística)

Tipologia
Estuda o meio de interação documental, em que a produção e uso jurídico-administrativo é estritamente associado a atividade que o gerou, ou seja, o produtor e interesses e relações da criação do documento.

Documento
Unidade de registro de informações, qualquer que seja o suporte.
(Dicionário de Terminológia Arquivística)

Suporte
Material no qual são registradas as informações.
(Dicionário de Terminológia Arquivítica)
Gênero documental
Reunião de espécies documentais que se assemelham por seus caracteres essenciais, particularmente o suporte e a forma de registro da informação, como documento audiovisual, documento bibliográfico, documento cartográfico, documento cinematográfico, documento iconográfico, documento eletrônico, documento micrográfico, documento textual.
(Dicionário de Terminológia Arquivítica).
Espécie Documental
Divisão de gênero documental que reúne tipos documentais por suas características comuns de estruturação da informação. São exemplos de espécies documentais ata, carta, decreto,disco, filme, fotografia, memorando, ofício, planta, relatório.
(Dicionário de Terminológia Arquivítica).

Cópia
Reprodução de um documento, geralmente qualificada por sua função ou processo de duplicação.
(Dicionário de Terminológia Arquivística).

Cópia autênticada
Cópia exata conferida à vista do original, por autoridade competente, possuindo fé pública.
(Dicionário de Terminológia Arquivística).

Série
Subdivisão do quadro de arranjo , que corresponde a uma seqüência de documentos relativos à mesma função, atividade, tipo documental ou assunto.
(Dicionário de Terminológia Arquivística).
Teste de paternidade
Comparação dos genes do DNA criança com os do suposto pai.

DNA
(ácido desoxiribo-nucleico, ADN) é uma substância que transmite as características hereditárias dos pais para os filhos.
(laboratório delphitest)

17 de setembro de 2009

Questões sobre o texto da Luciana Duranti

Oi, gente segue nossas questões sobre os texto. Tá tudo uma moleza.....

1) Segundo Duranti, quais são os elementos internos que podem ser considerados em uma forma documental?

2) De onde pode-se captar a compreensão real dos nomes dos documentos e de sua natureza?

3) Quem e que ação foi tomada frente controversias sobre a autenticidade quanto a diplomatica.

4) Segundo Bellotto e Duranti, as partes do documento diplomático são decodificadas Pela análise diplomática. Quais são as partes distintas que esses documentos devem possuir, segundo as autoras?

5) De acordo com Duranti, conceitue documento autêntico e documento genuíno.

Divirtam-se..
inté..

14 de setembro de 2009

MCEByte referência ao artista gráfico dos impossíveis, Maurits Cornelis Escher


MCE-Byte faz referência a este senhor, Maurits Cornelis Escher "(Leeuwarden, 17 de Junho de 1898 - Hilversum, 27 de Março de 1972) foi um artista gráfico holandês conhecido pelas suas xilogravuras, litografias e meios-tons (mezzotints), que tendem a representar construções impossíveis, preenchimento regular do plano, explorações do infinito e as metamorfoses - padrões geométricos entrecruzados que se transformam gradualmente para formas completamente diferentes." http://pt.wikipedia.org/wiki/Maurits_Cornelis_Escher
(Acessado em 23:00 de 14/09/2009)

Esta imagem das escadas é uma obra de Escher. As criações de Escher são muito mais complexa em relação as perspectivas sobrepostas. Interessante se examinarmos as impossibilidades existentes.
De qualquer forma, as letras inicias deste senhor se associam a marca da MCE-Byte Visões Virtuais.
Tem origem holandesa, mas esteve em diversas partes da Europa. Escher estudou arquitetura mas voltou-se para a prática de artes plásticas, principalmente gráficas. Mas o mais interessante é o caráter inovador e original que suas obras retratam.
Uma figura plasticamente agradável e bela se torna ainda mais atraente pela ideia de torná-la algo impossível.
Como uma mera hipótese, mas acredito que esta foi a ideia de a MCE-Byte ter adotado este simbolo. As iniciais de um autor incrível em sua diversidade de expressão perspectiva. Que sob uma religião critica em seu conservadorismo, o Judaismo, soube contornar as tradições, sem agredi-las, de sua cultura e religião para produzir algo ainda mais interessante.
Logo a MCE-Byte condizente com este simbolo, deve auto denominar-se praticante de feitos impossíveis.
Saudações de um mero apreciador de arte, que pretende ser arquivista!

10 de setembro de 2009

Análise de certificado

A quarta atividade proposta foi à criação e posterior análise de um certificado de acordo com a Heloisa Bellotto. O cetificado foi elaborado sem levar em consideração nenhum conhecimento teórico. Este foi o modelo criado em sala de aula.



A definição de certificado, segundo Bellotto é a seguinte: “ documento diplomático testemunhal, comprobatório, descendente, notarial ou não. Declaração que garante a veracidade de um fato, de um estado de coisas, o bom estado ou funcionamento de um objeto/ equipamento.”
Para se realizar a análise devem-se analisar três partes: protocolo inicial, texto e o protocolo final.
Levando em consideração o nosso certificado, faremos a análise observando as três partes mencionadas:

Protocolo inicial

· Titulação (intitulatio) que é formada pelo nome da autoridade soberana de que emana o ato ou por seus títulos, no caso a UNB;
· Direção ou endereço (inscriptio), parte que nomeia a quem o ato se dirige, no caso o Fulano de Tal.

Texto

· Dispositivo, que é a substância do ato, seu “assunto” propriamente dito, no caso o workshop.

Protocolo final

Subscrição/assinatura (subscriptio), assinatura do emissor do documento, no caso a assinatura da UnB.

Como pode ser observado, o nosso certificado passou longe do ideal. Elementos de grande importância com a data tópica, a data cronológica, o papel adequado, elementos de validação como o carimbo, que sevem para reiterar a legalidade do documento não constaram no certificado.
Além disso, colocamos elementos que não condizem com um certificado, como a assinatura ao final do certificado do participante do evento, atribuímos a produção do certificado a mais de um produtor.

Análise de um certificado original


O professor propôs a análise de um certificado autêntico,e a identificação dos elementos diplomáticos presentes nele. Assim, digitalizamos um certificado original e iremos analisá-lo.

Protocolo inicial

Titulação (intitulatio) : o logo tipo da UnB, o cabeçalho contendo do Decanato e a secretaria de Administração Acadêmica, papel com a marca dá universidade;
Direção ou endereço (inscriptio), o nome da aluna que participou do evento (a parte que recortamos).

Texto

Dispositivo: o texto em si, declarando que aluna participou do evento de extensão.

Protocolo final
Data tópica: Brasília;
Data cronológica: 17 de junho de 2009;
Subscrição/assinatura (subscriptio), assinatura do Diretor de Administração Acadêmica, e assinatura do Decano de extensão.

9 de setembro de 2009

Informações sobre Janice Gonçalves.


Graduada em História (1986), possui mestrado (1995) e doutorado em História Social (2006) pela Universidade de São Paulo. É professora efetiva da Universidade do Estado de Santa Catarina. atua na área de Memória e Patrimônio Cultural, com ênfase nas questões relacionadas ao patrimônio arquivístico. Nos últimos anos tem também realizado estudos sobre historiografia em Santa Catarina. publicou vários artigos e livros dentre eles uma parceria com a professora Heloisa Bellotto, o Dicionário Brasileiro de Terminologia Arquivística. São Paulo: CENADEM, 1990.
Mais a publicação mais conhecida de Janice é a COMO CLASSIFICAR E ORDENAR DOCUMENTOS DE ARQUIVO. como se pode ver no link.


4 de setembro de 2009

Acervo do CID

ACERVO DO CID

Espécies

Funções

Tipos

Idade

Ata

Reunião

De reunião

Permanente

Inventário

Atividade/

material

De atividades/de material

Permanente

Regimento

Funcionamento

De funcionamento interno

Permanente

Plano

Aula

De aula

Permanente

Comprovante

Matrícula

De matrícula

Corrente

Avaliação

Desempenho

De desempenho

Corrente

Cartas

Convite

De convite

Corrente

Memorando

Diverso

De diversos assuntos

Corrente

Oficío

Diverso

De diversos assuntos

Corrente

Histórico

Aluno

Do aluno

Corrente

Contrato

Pessoal

De pessoal

Corrente

Processo

Material

Aquisição de material

Corrente

Curriculum

Pessoal

De pessoal

Intermediário

Sugestão de Classificação:

A classificação dos documentos da área-meio deve ser feita conforme a Resolução n. 14 do CONARQ, considerando que a UnB está ligada ao Poder Executivo.

Para a área-fim o Plano de Classificação à ser elaborado se dividiria em três Classes:

ENSINO

GRADUAÇÃO

ARQUIVOLOGIA

ASSISTÊNCIA AO ESTUDANTE

DECLARAÇÃO DE ESCOLARIDADE

REGISTRO DE ACOMPANHAMENTO DE AULA.

HISTÓRICO ESCOLAR.

PRODUÇÃO ACADÊMICA

RELATÓRIO DE ESTÁGIO

AVALIAÇÕES.

TRABALHO FINAL DE CURSO

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO PROFESSOR.

BIBLIOTECONOMIA

ASSISTÊNCIA AO ESTUDANTE

DECLARAÇÃO DE ESCOLARIDADE

REGISTRO DE ACOMPANHAMENTO DE AULA.

HISTÓRICO ESCOLAR.

PRODUÇÃO ACADÊMICA

RELATÓRIO DE ESTÁGIO

AVALIAÇÕES.

TRABALHO FINAL DE CURSO

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO PROFESSOR.


MUSEOLOGIA

ASSISTÊNCIA AO ESTUDANTE

DECLARAÇÃO DE ESCOLARIDADE

REGISTRO DE ACOMPANHAMENTO DE AULA.

HISTÓRICO ESCOLAR.

PRODUÇÃO ACADÊMICA

RELATÓRIO DE ESTÁGIO

AVALIAÇÕES.

TRABALHO FINAL DE CURSO

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO PROFESSOR.


PÓS-GRADUAÇÃO

MESTRADO, DOUTORADO E ESPECIALIZAÇÃO.

ASSISTÊNCIA AO ESTUDANTE

EDITAL DOS ALUNOS APROVADOS.

LISTA DE OFERTA DE DISCIPLINAS

INGRESSO DE ALUNO.


PESQUISA

PRODUÇÃO CIENTÍFICA.


EXTENSÃO

PALESTRAS E ENCONTROS

PROGRAMAS E PROJETOS.

SIMPÓSIOS.


Sugestão de Ações:

Criação de uma Política de Gestão Documental que contemple todos os princípios arquivísticos.

Elaboração de um Plano de Classificação e uma Tabela de Temporalidade para a área-fim;

Treinamento de pessoal;

Construção de um local adequado;

Aquisição de mobiliário para acondicionamento do material, tais como: caixas, camisa para documentação permanente entre outros;

Aquisição de material para manipular os documentos, tais como: luvas, mascára, jaleco entre outros;

Estabelecer critérios básicos de conservação e preservação tais como: climatização, higienização e manutenção do acervo;

Prever a migração e estabelecer critérios de organização para os documentos em suporte digital, considerando questões como a segurança e autenticidade da informação e os backups.

Diplomatica e o Cotidiano

Atividade da primeira aula.
Na aula do dia 21/08, realizamos a seguinte atividade:conceituação de diplomática, tipologia e análise de alguns documentos.
O que é Diplomática?
Ciência que estuda a verificação e atesto da autenticidade documental. Não se baseando meramente nas propriedades físicas, mas a observância da estrutura formal dos documentos sob uma mesma forma jurídica, que são impostas e sistemáticas aplicadas pelo Direito. Garante, portanto, legitimidade e autenticidade de ação relativa produção e uso jurídico-administrativo.

O que é Tipologia?
Estuda o meio de interação documental, em que a produção e uso jurídico-administrativo é estritamente associado a atividade que o gerou, ou seja, o produtor e interesses e relações da criação do documento.

Por que é importante estudar diplomática na arquivologia?
É de grande importância pela identificação mais precisa dos documentos saindo de uma consideração meramente documental. Provocando estudo da relação documento e seu meio de produção e uso da entidade a qual está atrelada.
Dentre os documentos expostos, escolhemos cinco para análise:
1º documento
Documento:preservativo
Suporte:látex
Emissor:Ministério da Saúde
2º documento
Documento:CD de instalção do pacote Office
Suporte:eletrônico
Gênero:Informático
Forma:Original
Emissor:Microsoft Corporation

3º documento
Documento:Plano de ensino
Suporte:Papel
Gênero:Textual
Forma:Original
Emissor: CID

4º documento
Documento:Medalha
Suporte:Metal

5º documento
Documento:Registro e acompanhamento de aula
Suporte:Papel
Gênero :Textual
Emissor:CID
Loading...